3 verdades sobre a clara de ovo desidratada

Com certeza você já deve saber que o consumo de ovos pode - e deve - fazer parte de uma alimentação equilibrada!

Isso porque esse alimento é altamente nutritivo, tanto na clara quanto na gema. Na gema, é possível encontrar vitaminas essenciais para o organismo, tais como a vitamina D, B12, luteína e zeaxantina. Já na clara, há a maior concentração de proteínas de alta qualidade 1.

E hoje nosso foco é justamente na clara de ovo! Vamos falar mais um pouquinho sobre ela?

Bom, a clara corresponde àquela parte branquinha do ovo, e como já dissemos, traz consigo praticamente todo o conteúdo de proteínas deste alimento. A principal proteína encontrada na clara é a albumina, (também chamada de ovoalbumina), cuja uma das principais funções no organismo é participar da manutenção de músculos e tecidos, e permitir a passagem de minerais pelas células do organismo 1.

Além disso, a albumina tem se destacado como suplemento para praticantes de atividade física e atletas, visto que essa proteína comprovadamente tem a capacidade de aumentar as células musculares, contribuindo assim para o ganho de massa muscular 2.

A clara de ovo traz uma proteína importante como a albumina mas como incluir essa parte do ovo de uma forma prática e versátil no dia a dia? A resposta é através da clara de ovo desidratada! E vamos te contar agora 3 verdades sobre esse ingrediente:

  • CONTINUA SENDO UMA ÓTIMA FONTE DE ALBUMINA: O processo de desidratação retira apenas a água do produto, mantendo assim todas as propriedades da clara – neste caso, as proteínas 3,4;
  • É UM INGREDIENTE CULINÁRIO SUPER VERSÁTIL: Por estar em formato de pó, a clara de ovo pode ser adicionada a qualquer tipo de preparação, como tortas, bolos, biscoitos, entre tantos outros.
  • É MAIS SEGURA: Por não conter água, a clara de ovo desidratada possui maior segurança microbiológica, além de ter maior tempo de vida útil 3,4.

 

Agora que você já conhece todas as vantagens da clara de ovo desidrata, que tal incluir esse ingrediente no seu dia a dia, e tornar sua alimentação ainda mais nutritiva? ;)

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  1. McNamara DJ. The impact of egg limitations on coronary heart disease risk: Do the numbers add up? J. Am. Coll. Nutr. 2000; 19: 540–8.

 

  1. Mizunoya W, Tashima A, Sato Y, et al. The growth promoting activity of egg white proteins in the C2C12 myoblast cell line. Anim Sci J. 2015; 86: 194–9.

 

  1. Lechevalier L, Jeantet R, Arhaliass A, Legrand J, Nau F. Egg white drying: influence of industrial processing steps on protein structure and functionalities. Journal of Food Engineering. 2007; 83(3): 404- 13.
  2. Liu XD, Han RX, Yun H, Jung KC, Jin DI, Lee BD, Min TS, Jo C. Effect of irradiation on foaming properties of egg white proteins. Poultry Science. 2009; 88(11): 2435–41