O ovo e a saúde do coração

O ovo é um alimento extremamente versátil e amplamente utilizado na culinária para o preparo de receitas doces e salgadas. Além da sua praticidade, o ovo é muito consumido e utilizado devido aos diversos benefícios nutricionais que possui: é fonte de proteínas de alta qualidade, que contribuem para a formação e manutenção da massa muscular, e de micronutrientes que desempenham papel essencial na promoção da saúde¹.

Apesar dos benefícios conhecidos, existem diversos mitos relacionados ao consumo de ovos. O principal deles é a associação do seu consumo ao aumento do risco de doenças do coração, são causadas pelo aumento dos níveis de gordura no sangue, como a aterosclerose e hipertensão.  Essa associação se deve ao fato de o ovo é uma das principais fontes alimentares de colesterol. Porém, é a única fonte de colesterol que é pobre em gorduras e rico em nutrientes. Desse modo, seu consumo de forma equilibrada é benéfico para a saúde humana².

Além disso, o ovo possui diversos nutrientes que possui efeito cardioprotetor. Ele é capaz de auxiliar na redução da pressão arterial e, consequentemente, ajudar na diminuição do risco de hipertensão, por conter os chamados peptídeos anti-hipertensivos³; capaz de aumentar os níveis e a atividade do chamado “colesterol bom”, auxiliando no transporte do colesterol ruim e atrasando o progresso da aterosclerose 4, que é a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos; além de conter nutrientes como a luteína e a zeaxantina, que desempenham funções anti-inflamatórias e antioxidantes 5

Portanto, contrário ao mito, o ovo apresenta enorme potencial para beneficiar a saúde, pois, além dos efeitos protetores já citados, ele é uma das principais fontes de vitaminas e minerais, como a vitamina D, o folato, o zinco, a vitamina A, o selênio, entre outros. Dessa forma, levando em consideração a sua composição nutricional e os compostos bioativos que possui, ele pode ser elencado como um importante alimento para a saúde humana, em todas as fases da vida 5.

Referências: 1. Miranda JM, Anton X, Redondo-Valbuena C, Roca-Saavedra P, Rodriguez JA, Lamas A et al. Egg and egg-derived foods: effects on human health and use as functional foods. Nutrients. 2015; 7(1):706-29. 2. Soliman GA1. Dietary Cholesterol and the Lack of Evidence in Cardiovascular Disease. Nutrients. 2018;10(6). 3. Grootaert C, Matthijs B, Voorspoels S, Possemiers S, Smagghe G, Van Camp J. Egg-derived bioactive peptides with ACE-inhibitory properties: a literature update. Food Funct. 2017; 8(11):3847-3855. 4. Qin C et al. Associations of egg consumption with cardiovascular disease in a cohort study of 0.5 million Chinese adults. Heart. 2018; 0:1–8. 5. Dussaillant C, Echeverria G, Rozowski J, Velasco N, Arteaga A, Rigotti A. Consumo de huevo y enfermedad cardiovascular: una revisión de la literatura científica. Nutr. Hosp. 2017; 34(3):710-718.