Reeducação Alimentar – Por onde começar?

Hoje, mais do que nunca, sabemos que uma alimentação equilibrada é peça fundamental não apenas para manter longe doenças e deficiências, mas também para promover bem-estar e vitalidade!

Mas se a teoria parece simples, a prática nem sempre vai pelo mesmo caminho: manter uma alimentação variada, cheia de nutrientes e que ainda seja saborosa não é tarefa fácil para muitas pessoas – o que leva então a hábitos alimentares inadequados.

Como então tornar a saudabilidade nas refeições uma rotina?

Vamos te dar aqui 5 dicas superpráticas de como começar uma reeducação alimentar – lembrando que para buscar orientações individualizadas vale procurar um nutricionista, combinado? ;)

  • PLANEJE AS COMPRAS

Ter a lista de compras em mãos na ida ao mercado pode não somente evitar compras desnecessárias, mas também ajuda a garantir que aquelas opções saudáveis vão estar sempre presentes na sua cozinha!

  • PREPARE REFEIÇÕES E CONGELE

O freezer sem dúvida é um grande aliado de rotinas corridas. Separar 1 período por semana (por exemplo, sábado de manhã) para preparar as refeições que você vai consumir durante os próximos dias e congelar ajuda a manter preparações caseiras, saborosas e equilibradas ao seu alcance!

  • TENHA OPÇÕES SAUDÁVEIS À MÃO

Não adianta: se entre uma reunião e outra bate aquela fome, dificilmente você vai acabar escolhendo um lanche que exija um grande tempo de preparo. É nessas horas que aquelas opções não tão saudáveis aparecem, como um salgadinho ou biscoito recheado. Para evitar esse hábito, tenha sempre opções que sejam um preparo quase mínimo, como frutas, iogurtes naturais ou até mesmo um ovo cozido!

  • NADA DE PROIBIÇÕES!

A proibição de determinados alimentos parece que virou sinônimo de hábitos alimentares saudáveis, mas precisamos te avisar: a proibição não faz (e nem deve fazer) parte da redução alimentar. Aliás, sabe-se que se proibir de comer alimentos que você gosta pode levar a um outro comportamento inadequado: o de comer aquele alimento em excesso. Por isso, a regra de ouro é sempre o equilíbrio: se você não abre mão de um chocolate, que tal comer 1 bombom sempre que tiver vontade, ao invés de comer uma barra de chocolate toda de uma vez?

  • VARIE SEMPRE

Além de ajudar a garantir um maior aporte de nutrientes (afinal, nenhum alimento sozinho é completo o suficiente), buscar diferentes opções vai te ajudar a não cair na monotonia e com isso não enjoar das mesmas preparações – afinal, quem aguenta comer a mesmíssima comida todo santo dia?!

Lembre-se que a reeducação alimentar não vai acontecer do dia para noite – são pequenas mudanças que acontecem aos poucos, uma de cada vez. Querer mudar da água para o vinho, repentinamente, pode fazer com que esses novos hábitos não se sustentem ao longo do tempo – e assim, adeus à nova rotina alimentar!

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  1. Felippe F, Balestrin L, Silva FM, Schneider AP. Qualidade da dieta de indivíduos expostos e não expostos a um programa de reeducação alimentar. Rev. Nutr. 2011; 24(6): 833-844.
  2. Santos LAS. Da dieta à reeducação alimentar: algumas notas sobre o comer contemporâneo a partir dos programas de emagrecimento na Internet. Revista de Saúde Coletiva. 2010; 20(2): 459-474.
Leia mais »